sábado, 29 de junho de 2013

E o seu esconderijo?

- Amo você! Boa aula. - uma mãe fala ao seu único filho que a ignora e bate a porta. Fones no ouvido, roupas largas, aquele andar desleixado, tênis gastos e expressão séria estampada no rosto.

- Você consegue, mano. - o garoto de dezenove anos incentiva seu parceiro de dezesseis que está com uma arma qualquer na mão.

- Oi, amor... - uma adolescente sensualiza chamando a atenção de um pedestre que passa ao seu lado. Roupas curtas e extravagantes; maquiagem pesada e salto alto. O vento frio castiga levemente, mas ela parece não se importar.

Um cara tímido que não consegue ter amigos se encolhe no canto. É mais um dia de aula e ele tem que suportar ser "o aluno estranho".


Distraído no seu próprio mundo, o filho único percebe, tarde demais, a correria e os gritos ao seu redor. Dois tiros no peito e um rosto conhecido. É só isso que vê e ouve antes de partir.

O parceiro mais novo está tenso e amargurado. Lembra-se do pai lhe chamando de covarde e da aposta perdida. Uma única pessoa estranha não faria diferença... Ele atira e reconhece o garoto que cai morto em poucos segundos.

O pedestre, atraído pela beleza excitante da adolescente, aceita o preço proposto e ela tem mais uma noite de lucro barato. Só mudam os rostos, é tudo do mesmo jeito.

O aluno estranho, filho ideal e bom menino se sente rejeitado. Deseja, secretamente, apenas um pouco de atenção; mas os professores preferem os brilhantes e seus pais, como sempre, estão muito cansados.


Uma possível nota ruim no teste daquele dia é substituída por dois tiros do garoto que se sentava a poucos metros de distância na sala de aula. O filho único saiu de casa sem falar o quanto ama sua mãe e sem agradecer os conselhos de seu pai – que tinha a certeza de ter sido ignorado por todos esses anos –. 

Aquele menor fica paralisado. Tudo acontece em câmera lenta. Um filme passa em sua mente durante os poucos segundos. São muitas lembranças. Angústia, raiva e outros sentimentos se misturam. Ele queria ter tido a oportunidade de ter uma vida diferente, mas certas coisas dependem somente do destino.

A garota com grande potencial acostuma fácil a se aproveitar de sua beleza exterior, destrói seus sentimentos e escuta palavras superficiais – ditas apenas para aproveitar o momento –. A pequena foi entregue ao mundo muito cedo e continua buscando o amor em lugares errados.

O garoto tímido, filho do policial, procura a arma do pai pela casa. Minutos depois, o som dos passos pelos cômodos foi substituído pelo som da pistola apontada na boca. Talvez, assim olhassem para ele.


Essa é a nossa juventude. Jovens mudos. Jovens traumatizados. Jovens interiormente quebrados. Jovens se sentindo não amados. Cada um com um conflito, um medo, uma insegurança, um problema, uma ferida, uma consequência... Não importa. Cada um possui um "motivo" e uma forma de se "esconder" – mesmo que não percebam –.

É preciso se aceitar, se amar e se valorizar.

Vejam a letra da música. Acredito que o texto traz outra sensação quando se ouve, lê e interpreta a música...
Comentem o que sentiram ao ler.

8 comentários:

  1. Acabei de ler, demorei um pouco pra unir as histórias, o efeito ficou muito bom.
    Me lembrou o jogo de vozes na música pais e filhos de legião urbana.
    Seu comentário sobre a dificuldade em escrever me fez ver que não sou a única, deu até vontade de voltar...
    Sobre POD, tinha esquecido como é bom ouvir, é misto de rap com rock, é bom e a música,vc já disse tudo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Volta sim! Vou te adicionar em um grupo de escrita no facebook. Lá é muito legal e todo mundo ajuda todo mundo. :)
      P.O.D. é muito bom. Nossa! Também estava com saudade de ouvir. rs.
      Muito obrigada pelo comentário! :3

      Excluir
  2. http://www.youtube.com/watch?v=pgqDURxuZo0

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei... Principalmente dessa parte:
      "Help us we're drowning so close up inside... (...) Why does it have to kill the ideal of who we are? (...) How will the lights die down telling us who we are?"
      :)

      Excluir
  3. Olá!Boa noite
    Anna
    Como vai? Comigo, bem!
    li seu texto, que reflete bem a realidade atual.... e ouvi P.O.D.(não conhecia). Adorei ambos.
    ...penso que a juventude enfrenta um adversário poderoso e impiedoso, chamado sociedade!Para a sociedade o desafio é definir o jovem e, para o jovem, o desafio é definir-se diante de si e dos seus pares. Muitos se "escondem" porque não conseguem abrir os olhos para ver o grande horizonte de sonhos... no convívio social/ humano existem sempre comportamentos que são incentivados e aprovados e outros desestimulados e condenados... muito em razão , por vezes, do enfraquecimento de uma instituição tradicional, como família, e a desigualdade social e econômica que nem sempre permite que os jovens possam atingir seus objetivos e ou vivenciar as idealizações das quais são objeto...
    Obrigado pelo carinho da visita
    Belo domingo
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. P.O.D. é <3 haha
      Gostei do seu ponto de vista...

      Obrigada pelo comentário. :))

      Excluir
  4. Que mensagem linda trazida neste sábado! Adorei!
    Beijo,
    Vinícius - Livros e Rabiscos

    ResponderExcluir

Ei, muito obrigada pela visita! :D Comentários são sempre bem vindo, então não se acanhe! Fique à vontade para opinar, mas cuidado com a falta de respeito, ok?! Mais uma vez: obrigada! :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...