domingo, 22 de setembro de 2013

Querido papel...

Oi, papel! Tudo bom? Eu preciso escrever - eu tenho que atingir minha meta -, eu também quero escrever, mas eu não sei o que escrevo. Eu sei que você quer que eu escreva porque você fica tão tristonho todo branco, sem nada. Parece estar com frio e suas roupas, para mim, são palavras. Mas pode ser desenhos para os desenhistas. Ou anotações para os estudantes. E eu sei que você não gosta daquelas roupas estranhas que são os rabiscos aleatórios, fortes e sem sentido. Peço desculpas pelas vezes que te vesti assim.

Posso ter o costume de sair te amassando, te jogando fora ou te queimando como se eu não ligasse pra você, mas eu me importo muito. Às vezes, a gente trata assim as pessoas ou coisas que gostamos. Nós, seres humanos, somos extremamente contraditórios. E acho que você entende bem o que eu falo... Você lida com diversos tipos de pessoas: o estudante neurótico, o estudante relaxado, o escritor, o desenhista, o empresário, o funcionário, o catador de lixo, a dona de casa... Você sabe que cada hora eles decidem algo diferente.

Você não só me auxilia muito, querido papel... Você me ensina também. Com você, aprendo e relembro que tudo depende de mim mesma. Vou dar um exemplo: toda aquela escuridão de branco pode paralisar um escritor enquanto outro se sente instigado a escrever loucamente preenchendo cada “espacinho” branco com a tinta da caneta.

Estou aprendendo a ser como o segundo. Espero que esteja gostando disso, pois assim não te deixo com frio e nem te jogo fora. Apenas vou criando roupas variadas pra você.

Beijos e obrigada pelos ensinamentos!

My heart for you, paper and words. 

Escrevi esse texto faz um tempinho... Eu não sabia o que escrever na época, mas precisava escrever e então saiu essa carta, rs. O que acharam? Comentem! :)

4 comentários:

  1. As vezes eu tenho essa compulsão, de escrever só pra preencher cada espacinho em branco. As vezes nem preciso preencher com palavras, rabiscos servem também. hauahua
    Vamos passar a tratar melhor o papel e as palavras :)
    Beijos, Anninha.

    Ideias Defenestradas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahh, mas você tem um "q de artista" maior que o meu: é boa desenhando, haha.
      Vamos sim. <3
      Beeijos!

      Excluir
  2. Anna, que gracinha de texto <3
    Me fez lembrar de um texto que eu escrevi uma vez chamado "Meu primeiro amor"... um texto falando sobre minha paixão por escrever como se ela fosse uma pessoa o tempo todo (falando assim não parece, mas me fez lembrar dele. Enfim HAHAH)
    Confesso que vivo oscilando entre a vontade de preencher cada pedacinho da folha e o pânico de começar a escrever. Mas dizem que o maior desafio pra um escritor é a página em branco, né? :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh, é bom saber que não tô "sozinha". rs.
      O seu texto deve ter ficado muito bonitinho. *-*
      Sabe o que andei observando? A "página em branco" no celular é menos perturbadora. Hahaha. Começo meus rascunhos com mais facilidade por lá. ;P

      Excluir

Ei, muito obrigada pela visita! :D Comentários são sempre bem vindo, então não se acanhe! Fique à vontade para opinar, mas cuidado com a falta de respeito, ok?! Mais uma vez: obrigada! :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...