quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Sonhos não Usam Rodinhas

As pessoas costumam festejar os últimos 365 dias antes do aniversário de 18 anos. Eu costumo chorar. Não literalmente, mas aquele aperto no coração e medo são bem presentes. Lembro que, quando eu tinha doze anos, recebi “parabéns” de um amigo e reclamei: “Ahh... Podia ser dezoito!”. Onde eu estava com a cabeça?

Costumava usar mais salto até completar os doze anos de idade. Maquiagem e vestidos também. Não quero escrever sobre “aproveitar cada idade”, “viver o presente” ou qualquer coisa do tipo. É só que as coisas estão angustiantes... Crescer dá medo. Ter responsabilidades assusta. Mas é tão bom poder traçar a rota que quero seguir e determinar onde quero estar daqui 5, 10, 20 anos. Eu sinto que consigo chegar lá tranquilamente. Só não sei qual o próximo passo que devo dar. Não estou segura dele.

Todo mundo conhece aquele clichê: seus sonhos dependem de você. Eu quero voltar aos doze, mas essa idade não me permite sonhar tanto. Dizem que as crianças podem fazer o impossível, pois não conhecem muito ainda. Acho o contrário. Quando a visão de mundo se expande, é possível entender mais o que acontece. Hoje consigo traçar um caminho – mesmo com falhas – pra executar o plano que comecei sonhar na infância.

Deixar as rodinhas é aprender a se equilibrar, levantar depois de cair e poder pegar mais velocidade quando achar necessário. Sempre haverá rodinhas para abandonarmos no meio do caminho.


Consegui achar, entender e gostar dos motivos para comemorar nos próximos 50 e poucos dias. E as pessoas ainda me perguntam o porquê de gostar tanto de escrever!
O que achou da crônica? Também está precisando abandonar as rodinhas? Comentem! :)

16 comentários:

  1. Quando eu tinha sua idade, não apostaria nem em um bilhão de anos em quem eu acabei me tornando cinco anos depois. Planos são bons, mas é como quando você planeja um livro. Você cria uma estrutura, mas o desenrolar da história as vezes acabe sendo outro. E isso é assustador, mas também é muito bom. A vida pode te levar muita coisa, mas traz também novidades inesperadas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahh, gostei da comparação com escrever! Haha. :3 E concordo. Mas mesmo com essas surpresas dá pra chegar onde a gente quer. E o plano muda conforme o tempo passa também. Ele vai se readaptando, contornando o que aparece pra dificultar e a gente deixa outras rodinhas no caminho, hehe. :)
      Obrigada pelo comentário, Diego! ^^

      Excluir
  2. Ah que legal, eu contei regressivamente, dia por dia para completar 18 anos, rsrsrsrs É muito bom você poder responder por si mesmo, procurar um trabalho, não ser tão dependente dos pais para tudo; mas como você disse, a parte ruim é não poder voltar a ser criança, pense assim: Melhor ter dezoito anos do que ter dezessete, porque com dezessete você nem pode ser você. rs! Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bom, mas dá medo também... :S rs.
      Ahh, eu sou eu com 17. Acho que tô sendo mais eu do que quando era mais nova... :) rs.
      Obrigada por tá sempre comentando aqui, Allan!!

      Excluir
  3. muito legal, Anna. Acho que o que mais me perturba é o próximo passo. Qual é o próximo passo? Mas... vamos em frente. E sei que eu continuo criança, então não posso falar muito sobre ser adulto. E fiquei curiosa para saber esse seu sonho. Independente de qual for, espero que você alcance. Você merece (:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O próximo passo também é o que mais me perturba! Haha.
      Awn... Obrigada de verdade pelo comentário, Dana. <3 (e você vai saber o sonho quando ele tiver mais perto de concretizar, hehe).

      Excluir
  4. parabéns. vcs se interagem lindamente. isso ajuda a crescer e fortalecer os laços de amizade e confiança.

    ResponderExcluir
  5. Cara, me identifiquei muito com esse texto! Eu nunca fui dessas meninas que sonhavam em ser gente grande durante a adolescência... acho que a gente tem que aproveitar o momento. Mas tá sendo incrível ser "adulta", sabe? (coloquei entre parênteses porque ainda é meio bizarro me enxergar como adulta). Ter mais noção das coisas que estão acontecendo, uma visão mais madura... e, claro, traçar planos. Eu AMO traçar planos, pensar sobre o futuro e me perder nos devaneios mais loucos.

    Que muitas rodinhas fiquem pra trás... :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nilsen, obrigada pelo comentário. <3
      E fico feliz por ter se identificado com o texto... *-*
      Obrigada mesmo.

      Beijos.

      Excluir
  6. Sério que você ainda vai fazer 18? Achei que você era mais velha (porque pra mim você parece mais madura que a idade). Curti muito sua crônica. O próximo passo é realmente meio ruim de se dar. Dá medo, dá angústia... Mas vamos que vamos. Um passinho de cada vez. :)
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério! :D Sempre me falam isso, hehe.
      É isso ai! :)
      Obrigada pelo comentário... :)
      Beijo.

      Excluir
  7. Belo texto,pequena Anna!
    Sucesso na sua trilha!

    ResponderExcluir
  8. Que texto lindo. De verdade.
    Eu achava que ter dezoito anos mudaria a minha vida rs, mas as coisas basicamente continuam as mesmas. Com o tempo eu fui adquirindo mais responsabilidade, hablidade, sabedoria e minha independência \o;
    Passei -passo- pela crise dos vinte também. Aquele hiato entre o que fomos e o que queremos ser rs, não saber ao certo o próximo passo, enfim. Seu texto me lembrou muita coisa. Adorei mesmo.
    http://gabipuppe.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, Gabriele!
      Esse próximo passo é sempre o que complica pra mim. x.x Mas a gente vai andando... :P rs.
      Beijos! Obrigada pelo comentário. <3

      Excluir

Ei, muito obrigada pela visita! :D Comentários são sempre bem vindo, então não se acanhe! Fique à vontade para opinar, mas cuidado com a falta de respeito, ok?! Mais uma vez: obrigada! :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...